Identidade

Banco Montepio – esta é a nossa marca, que nasceu em 2019 a pensar no que somos hoje e no futuro que queremos alcançar. Banco Montepio é uma marca de evolução, ancorada numa história com quase dois séculos.

    Esta mudança reflete uma nova visão para o futuro, que encaramos com confiança, ambição e segurança, mas em que o essencial não muda: os valores que sempre nos caracterizaram. A portugalidade, a proximidade, a solidez e confiança permanecem, assim como a razão de ser e a alma do Banco Montepio.

    Na nova imagem, o pelicano – o nosso símbolo desde o primeiro dia - evoluiu. Levantou a cabeça, ergueu o peito, ganhou asas e assumiu uma nova postura e atitude, mais forte, confiante e de olhos postos no futuro.

    O património cromático da marca mantém-se, num jogo de cores entre o azul legado, herdado da história do Montepio, que transmite confiança, segurança e determinação, e o novo amarelo otimista, mais estimulante e enérgico, a simbolizar proximidade, inovação e renovação. E também o tipo de letra escolhido – a geométrica fonte Infoma – reflete modernidade e força.

    Estes são os novos elementos visuais da marca Banco Montepio, a marca do banco português mais antigo, que tem uma base mutualista e solidária, caracterizado pela sua independência e onde a tradição convive de bem perto com a inovação. Um banco que nasceu diferente e faz a diferença na vida das pessoas, das famílias, das empresas e das instituições do setor social.

     

    Sob o signo do pelicano

     

    Evolução do logótipo Banco Montepio | 1861-2019

     

    A evolução do logótipo mostra bem como a tradição e inovação se fundem para dar corpo à nova marca: em 1840 era o pelicano debruçado sobre as suas crias que acolhia os primeiros associados do Monte Pio dos Funcionários Públicos, e que a partir de 1844 passou a cuidar da mesma forma dos clientes da então Caixa Económica de Lisboa, que passou depois a Caixa Económica Montepio Geral, e agora do Banco Montepio.

    E o pelicano nunca mais nos abandonou, embora tenha sofrido várias mutações ao longo dos anos, tanto gráficas como conceptuais. Por isso, o pelicano foi aparecendo sozinho ou acompanhado pelas suas crias – umas vezes quatro, outras três ou apenas uma - às vezes a alimentá-las, dependendo tudo da mensagem que se queria reforçar em cada momento, dando mais destaque à família ou ao indivíduo.

    Em 2004, depois de quase 20 anos em que o pelicano apareceu sozinho, o logótipo recuperou uma das crias, e com ela reforçou a emotividade e a ideia de auxílio mútuo, proteção e relacionamento pessoal, espelhadas na assinatura ‘Há valores que duram sempre’. Em 2006, um novo rebranding mantém o pelicano e a sua cria, e é introduzido o amarelo, que permanece até hoje, embora num tom mais otimista e estimulante. A assinatura da marca evoluiu para ‘Valores que crescem consigo’, a mesma que hoje representa o posicionamento do novo Montepio.

     

    ImprimirTamanho da letraA-A+