Notícias

Fecho de mercados | 26 de fevereiro de 2021

Em Portugal, o índice PSI 20 terminou a sessão em terreno negativo, em linha com as bolsas europeias que encerraram também em tendência negativa. As bolsas norte-americanas encontram-se a transacionar em terreno misto.

Wall Street abre a recuperar fôlego. As bolsas norte-americanas abriram com uma tendência mista, com o Nasdaq e o S&P 500 a recuperarem das perdas, mas o Dow Jones a manter-se no vermelho. O Dow Jones segue a perder 0,77%, para 31.167 pontos, depois de anteontem ter atingido os 32.009,64 pontos, o valor mais alto de sempre. Já o S&P500 segue a valorizar 0,31% para os 3,841 pontos;

Afinal economia cresceu menos no final de 2020. INE revela subida de apenas 0,2%. A economia portuguesa terminou 2020 com um crescimento de 0,2% face aos três meses anteriores, em vez de ter avançado 0,4%. Os dados foram revelados esta sexta-feira pelo Instituto Nacional de Estatística e confirmam, ainda assim, a recessão anual de 7,6% em 2020. O fecho de 2020 não foi tão dinâmico como se esperava. Apesar da ajuda que é sempre dada pelo Natal, e até do alívio do desconfinamento decidido para as semanas das festividades, a economia nacional cresceu metade do que se chegou a admitir nos últimos três meses do ano, face ao período entre julho e setembro. (Negócios);

BCP recua mais de 4% após margem financeira "abaixo do esperado". Num dia negativo nos mercados acionistas devido à recente subida dos juros das obrigações soberanas, as ações do Banco Comercial Português reagem em queda aos resultados de 2020 que foram anunciados após o fecho da sessão de quinta-feira. As ações do BCP fecharam assim a cair 2,82% para os 11,72 cêntimos. (Negócios);

Fevereiro foi o terceiro pior mês em bolsa na história da EDP Renováveis. As ações da EDP Renováveis derraparam 19,73% em fevereiro, o que representa o terceiro pior mês de sempre desde que a empresa portuguesa está cotada em bolsa (2008), num período marcado por uma queda geral também no setor em toda a Europa. Para registarmos uma desvalorização mensal desta dimensão é preciso recuar aos primórdios em bolsa. Só em setembro e outubro de 2008 é que a empresa caiu 19,80% e 27,55%, respetivamente. Agora, a queda em fevereiro deste ano é ainda a maior entre os pares do setor das "utilities" na Europa, que também não tinha uma queda mensal tão grande desde março do ano passado. (Negócios);

Queda de 4% da Galp penaliza última sessão do mês do PSI-20. A bolsa nacional terminou a sessão desta sexta-feira com uma queda de 1,78% para os 4.702,19 pontos, em linha com o cenário de quedas registado nas restantes praças europeias, num dia em que só uma empresa nacional sobreviveu às quedas. (Negócios).

Acompanhe os principais títulos e índices dos principais mercados em bancomontepio.pt/mercados.

ImprimirTamanho da letraA-A+