Notícias

Abertura de mercados | 12 de fevereiro de 2019

Wall Street encerrou ontem entre ganhos e perdas ligeiras, apesar do forte arranque da sessão. O entusiasmo dos investidores em relação às negociações comerciais entre EUA e China acabaram por ser ofuscadas pelas preocupações sobre o impasse no Congresso. Por outro lado, o dólar segue em alta e regista já o rally mais longo em três anos. (Eco);

Hoje, a Navigator apresenta, após o fecho da bolsa nacional, os resultados de 2018. Por cá, destaque ainda para os dados da inflação em janeiro (Negócios);

Os ministros da área do euro estão satisfeitos com a evolução orçamental portuguesa. Mas notam que é preciso reduzir a dívida e o malparado, e melhorar a produtividade antes de subidas salariais (Negócios);

O primeiro-ministro espanhol, Pedro Sánchez, no cargo desde junho de 2018, está a considerar convocar eleições para o dia 14 de abril, um mês e meio das eleições para o Parlamento Europeu. De acordo com o ?El Mundo?, esta possibilidade surge após milhares de espanhóis terem saído à rua, no domingo, para exigir eleições antecipadas, devido à aprovação dos orçamentos gerais do Estado de 2019, cujas emendas são debatidas a partir desta terça-feira pelos deputados em Madrid e de um distanciamento do executivo de Sánchez com os partidos separatistas catalães (Económico);

Fernando Teles, sócio de Isabel dos Santos no banco angolano BIC e no português EuroBic, adquiriu as duas quintas do falido último líder da Casa do Douro, cuja insolvência tinha sido requerida pela Parvalorem, que ficou com os ativos tóxicos do BPN, banco vendido ao BIC (Negócios);

Autoeuropa vai reduzir a produção da carrinha Sharan, cujo fim estava previsto para 2020. No entanto, em contrapartida, a fábrica de Palmela compromete-se a prolongar a produção por mais dois anos, apurou o ECO (Eco);

A José de Mello Saúde formalizou na segunda-feira a suspensão da convenção com a ADSE para prestação e cuidados de saúde aos seus beneficiários em toda a rede CUF, podendo evoluir para denúncia definitiva da convenção (Económico);

A Galp vai arrancar com a produção num novo poço de petróleo em Angola. Apesar de o Brasil continuar a ser o país onde a companhia mais produz petróleo, a Galp está a desenvolver vários projetos em outros países lusófonos (Económico).

Acompanhe os principais títulos e índices dos principais mercados em montepio.pt/mercados.

ImprimirTamanho da letraA-A+